sábado, 24 de dezembro de 2016

Como é o dia-a-dia de trabalho como legal secretary/paralegal

Eu já fiz vários posts sobre minha carreira aqui, como foi difícil arrumar emprego na minha área, sobre como validar o diploma em direito, etc. Mas vira e mexe me perguntam como é de forma prática o trabalho de legal secretary/paralegal por isso resolvi escrever esse post.

Primeiro quero deixar claro que minha descrição é absolutamente pessoal, baseada na minha experiencia em apenas um escritório de advocacia, que é onde eu trabalho desde sempre aqui em Sydney. Meu escritório também é um pouco distinto porque não pratica direito australiano, apenas direito americano e tem como foco unicamente o mercado de capitais. Além disso meu escritório é pequeno, tem apenas 15 pessoas no total, então as funções não são muito especializadas. Com isso possivelmente as funções de um legal secretary/paralegal podem ser distintas em outros escritórios.

Eu fiquei 2 anos como legal secretary, entrei de licença maternidade e voltei há 1 ano e meio como paralegal.

Como legal secretary, minhas funções eram basicamente:

- lançar no sistema interno as horas de trabalho dos advogados (billable hours), ou seja, quantas horas o advogado demorou na atividade x no dia y para cada cliente/projeto que trabalhou. No fim do mês essas horas e a descrição correspondente são contabilizadas e o cliente recebe a fatura do escritório. Quem trabalha com direito consultivo no Brasil deve ter sistema parecido, no contencioso é que normalmente a cobrança é fixa por número de processo e não por horas trabalhadas;

- salvar docs que os advogados mandavam no sistema interno, imprimir/encadernar/tirar cópia/escanear docs, fazer edições nos docs (ou seja, adicionar comentários dos advogados, comparar docs, etc);

- fazer relatórios de horas trabalhadas num projeto, pra que os advogados fizessem uma checagem periódica do quanto estavam cobrando do cliente;

- atualizar os livros de jurisprudência/legislação com novos updates que a biblioteca da empresa em Hong Kong manda periodicamente;

- marcar voos/hotel para viagens de negócios dos advogados;

- preparar e enviar correspondência externa;

- preparar carta de auditoria;

- organizar a festa de fim de ano da empresa e demais comemorações internas;

- preparar cds de fechamento de um projeto, compilando documentos e material envolvido.

E outras mais que não me vêem a cabeça agora. Além disso, como o escritório é pequeno, sempre que ficávamos sem recepcionista eu tinha que cobrir também as funções da recepção (atender telefone, manter a comida limpa, cuidar do estoque de produtos e fazer pedido de novos produtos, etc) ou quando a office manager estava de férias eu cobria algumas das funções dela.

Cumulado a isso tudo, como os advogados sabiam da minha formação em direito, acabavam me dando também trabalhos mais jurídicos, por isso que quando eu voltei de licença maternidade troquei de cargo e voltei como paralegal. Como paralegal minha hora passou a ser billable (cobrada do cliente) e minhas funções se consolidaram como sendo primordialmente mais jurídicas como:

- fazer busca de precedentes para projetos;

- criar docs iniciais para os projetos, fazendo uma análise da empresa e do tipo de projeto envolvido;

- analisar balanços financeiros das empresas, assim como demais documentos para investidores e com base neles atualizar documentos do projeto;

- atualizar a planilha de taxa de cambio e as diversas fórmulas que criamos como média/mínima/máxima do período fiscal, etc;

- cuidar da database de marketing interna da empresa, e das diversas planilhas internas de projetos que temos;

- criar e atualizar pastas internas de casos precedentes;

- auxiliar os advogados de uma forma geral nos projetos.

Além disso ainda cumulo funções de legal secretary quando estamos sem uma, ou se o volume de trabalho está pesado.

O volume de trabalho varia muito durante o ano no escritório onde trabalho, seguindo mesmo o mercado financeiro, mas de um modo geral apenas os advogados são demandados a trabalhar por longas horas. Eu até já fiz bastante hora extra, já trabalhei 12hrs ou mais seguidas, mas pra mim é sempre opcional: se o volume de trabalho está pesado as vezes me pedem e se eu posso eu fico até mais tarde. Mas se eu não posso porque tenho que pegar o Lucas na creche, ou se ele está doente, é absolutamente ok dizer que eu não posso e sair as 5:30 da tarde no meu horário normal. Não é assim na maioria dos escritórios, acredito eu, principalmente para paralegals que muitas vezes trabalham longas horas tanto quanto os advogados. Isso é um pouco o que pesa na minha decisão de não validar meu diploma aqui. Porque uma vez advogada aqui eu não conseguiria ter a flexibilidade que tenho de trabalhar de 8:30-5 e apenas 3 vezes por semana. Por outro lado eu fico meio engessada no meu cargo e no escritório em que trabalho no sentido de não conseguir pegar novos desafios. Mas tudo na vida é uma questão de escolhas, né? Atualmente eu estou em paz com as minhas, quem sabe daqui a 5-10 anos eu não pense diferente e escolha outro caminho. :)

3 comentários:

  1. Oi Denise! Meu nome e Maria Fernanda, também sou formada em direito no Brasil (trabalhava em um escritório no Rio com consultoria tributaria e aduaneira) e me mudei pra Sydney ha um mes. Vim pensando em tentar o caminho de big four, na area de tax (sem reconhecer o diploma) ou quem sabe mudar de area (fazer algum curso de comercio exterior e tentar trabalhar na area de customs), mas em pouco tempo minha cabeça mudou. Ja sinto falta da correria doe escritório e acho que não conseguiria abandonar a profissão. Por isso comecei a pesquisar formas de entrar no mercado de trabalho jurídico aqui antes de ter o diploma, e seu post apareceu como uma luz!! Li todos os seus posts sobre o assunto e o que vc fala sobre currículo foi uma grande ajuda.. Eu ja estava mandando meu currículo hiper mega completo que eu demorei horas pra traduzir pra todas as vagas de legal secretary e paralegal que encontrei no linkedin! Vou refaze-lo hoje mesmo. Li também que vc contou com a ajuda de um recrutador para conseguir o seu emprego. Voce poderia me passar o contato dele?? Fiquei sabendo que os recrutadores aqui são especializados em determinadas areas e ninguém que conheço aqui trabalha na area jurídica. Bom, gostaria de te agradecer muito por compartilhar todas essas informações e também deixar meu email caso voce possa me enviar o contato dele. Muito obrigada!!

    Beijos, Maria Fernanda
    (forni.maria@yahoo.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria. Eu não tive um recrutador específico, mandava pras vagas que apareciam no Seek e alguns recrutadores me contactaram. Vou te responder melhor pelo email.

      Abs,
      Denise

      Excluir
  2. Oi Denise, eu estou me formando em direito aqui no Brasil, e estou estudando as possibilidade de exercer a profissão em outro país, pesquisei principalmente no Canadá e agora iniciei a pesquisar na Australia (seu blog foi um grande ajuda, muito obrigada desde já). Nos dois é bem complicado o processo de validação do diploma, super burocrática, etc, e vi que a profissão de paralegal é um pouco mais fácil, e ainda está na área jurídica, então gostaria de te perguntar, qual a carga horária? o serviço em si é bom? com a remuneração que se ganha da para viver bem? Agradeço mais uma vez por todas as informações, amei seu blog, vou deixar meu e-mail para caso você refira responder por lá.
    beijos, Thais
    (thais_midauar@hotmail.com)

    ResponderExcluir